recebo cartas


escreve-me sempre.

conta-me as tuas histórias, os teus sonhos engendrados como teias construídas lentamente por aranhas negras e belas como o despontar da noite.

também eu sonhei um dia. havia pássaros nas tuas pernas e o teu olhar era como um farol que me guiava por todos os caminhos.

grafismo de m. almeida e sousa