raio x (3)


ah!…
permitam-me um toque da classe.
o meu fígado não pára de palpitar no desejo da redenção

ah!…
sinto um aperto no peito flamejante
e
flechas a perfurar os carinhos de lábios nus

não!
nem com a cabeça na guilhotina seguirei o carreiro dos pobres de espírito…

eu
sou um criador de lustres

quero iluminar a minha loucura

esta minha história está engatilhada no cérebro a disparar projécteis…

sempre na esperança de que alguma bala perfure de novo o coração.

Anúncios