14 poemas visuais (de Almeida e Sousa)


“Sem dúvida que a conquista de outras expressões, em vez de destruir a poesia, é afinal a sua maneira de caminhar no tempo, e é o seu contínuo e inegável poder de metamorfose que lhe confere validade e presença no mundo.”

(António Aragão in Poesia Experimental, Edição Cadernos de Poesia, Lisboa:1964)


5 thoughts on “14 poemas visuais (de Almeida e Sousa)

  1. Em vez de destruir a poesia… e o poema está lá, alterado qb. Noutra dimensão, a gráfica. E… como disse alguém – nos ossos poéticos – este homem está cada vez melhor… :)

  2. sim e verdade, esta.
    deixa-o ir na bicicleta, percorrer todo aquele mundo onde habitam as melhores coisas, as coisas mais fantásticas que se pode ver, talvez.. é encantador quando se olha para aquela dimensão gráfica – como dizes ;)

  3. gostei dessa dele ir de bicicleta… tem um medo de andar de carro… e sabe guiar!… (mas não quer que se saiba ;)) não tem é carta. este homem está cada vez… mais teimoso. será da idade? ele até tem charme… mas…

Os comentários estão fechados.