ao alcance da nossa mão


a arte e o amor convivem numa fuga constante. o seu único protocolo é uma estratégia constantemente renovada para a evasão. são astros fugazes.


descobrimo-los na intimidade da noite obscura e, de imediato pronunciamos um desejo. algo em que cremos merecer. mas que não está ao alcance da nossa mão.