a santissima empilhadora


a santa empilhadora…
… ora a santa empilhadora, quebrou tudo o que lhe fez frente no templo.
foi no algarve. em faro.
um acto poético – “a destruição é, em si, um acto criativo”
já o dizia bakunine
a senhora das bicicletas assumiu a pasta das  empilhadoras
e
deu uma nova dinâmica à nossa santa igreja (até mudamos de nome)
“santa igreja das bicicletas do sétimo dia e das empilhadoras de todos os tempos poéticos”
para a empilhadora, hoje canonizada pelo papa ciclista abu ciclobus, “tudo não passou de uma aventura” – disse
e mais disse:
– a partir de hoje vou actuar como uma verdadeira poetisa. destruirei todos os vendilhões do templo como me foi ensinado nas escrituras…
e
depois de passar o “santo óleo” nas pálpebras… digo; faróis… jamais serei quem sou. e vocês, poetas deste país, apoiem o homem que me guiou nesta cruzada contra os infiéis.


viva a santa guerrilha!
viva a “santa igreja das bicicletas do sétimo dia e das empilhadoras de todos os tempos poéticos”