até que…


as tuas lágrimas
encharcam o horizonte

e
o pôr-do-sol amargurado
escorre-me dos olhos reclamando
o teu pescoço
a tua nuca
o teu cabelo
a tua orelha
o teu sexo
e
a tua boca

até que se parta a lira da unidade