aqui jaz… um poema (morto)


as movimentações ocorridas ao erguer das pálpebras

suspiram na varanda

e

de acordo com a luminosidade filtrada pela vidraça

tudo está morto

até eu…

revoluteando a acolchoada sepultura

descubro que poderei produzir

um poema —————-> profundo

pro fundo

pro fundo

pro fundo

pro fundo

pro fundo

e

no fundo

lá no fundo

sonho nuvens