rasgar a carne


rasgar a carne

e

mexer com a colher todas as imagens num instante

a poesia está na rua

os poetas que fritem – no óleo dos carapaus – os seus sonetos bem comportados

adoramos o cheiro a pólvora

há sempre os que têm medo de não voltar

é…

a mente desintegrou-se

transpira-se uma fadiga de mais um ano de trabalho

e

vamos perdendo controlo sobre o pêndulo que transportámos

são os cigarros que marcam o tempo

faltam-nos relógios

depois de teres uma vida cheia de nada, acaba com ela!…