sentado (um homem)


roubei o teu nome numa  parede

 

à noite
ao telefone
ouvem-se pássaros

e
tu a caminhar sem rumo despertas dedos
vivos em cada grão de areia

há uma máquina ao romper de cada manhã

e
os corvos
fazem o ninho nas artérias
de adolescentes perversos

Anúncios