se… e se…


pressentem-se olham-se desejam-se
acariciam-se beijam-se despem-se

respiram-se deitam-se cheiram-se
e
se penetram se chupam se viram

adormecem
e
despertam

iluminam-se acariciam-se apalpam-se

se fascinam
se mordem se gostam se lambem

e
se confundem se acoplam se desagregam

se alteram
………………………………………………………….
………………………………………………………….
………………………………………………………. e
falecem

distendem-se retocam-se estiram-se
e
se estrangulam

para
se apertarem
………………………………………………………….
………………………………………………………….
………………………………………………………. e
estremecerem

e

logo
se tactearem se juntarem se matarem
se rasgarem se enervarem se apetecerem

e
se acometerão se chocarão se acachaparão se apresarão se deslocarão
para
se perfurarem se incrustarem se equilibrarem

e

no divã
se contemplam se inflamam se derretem
e
enlouquecem

definitivamente

Anúncios

hino a Isis


lembremos um dos mais belos poemas sobre a condição humana – o hino a Isis – datado entre os séculos III e IV.

Porque eu sou a primeira e a última
Eu sou a venerada e a desprezada
Eu sou a prostituta e a santa
Eu sou a esposa e a virgem
Eu sou a mãe e a filha
Eu sou os braços de minha mãe
Eu sou a estéril, e numerosos são meus filhos
Eu sou a bem-casada e a solteira
Eu sou a que dá a luz e a que jamais procriou
Eu sou a esposa e o esposo
E foi meu homem quem me gerou em seu ventre
Eu sou a mãe do meu pai
Sou a irmã de meu marido
E ele é o meu filho rejeitado
Respeitem-me sempre
Porque eu sou a escandalosa e a discreta.

documentos dadaístas 1


revista MERZ – Nº 1 – janeiro de 1923

edição de >>> Kurt Schwitters (Hannover, Alemanha 20 de Junho de 1887 – Ambleside, Reino Unido, 8 de Janeiro de 1948)