underground press II


publicações que marcaram uma geração – a dos anos 60/70 – revista OZ

curiosidades da deusa éris


poste simultâneo em congregação do imaculado albatroz

éris, é a nossa deusa…!
éris é, ainda, um planeta (anão – dizem eles) conhecido oficialmente como 136199 Eris.
o nosso sagrado planeta viaja nos confins do sistema solar…
precisamente aí. no cinturão de kuiper.
dizem, os cientistas e especialistas destas coisas dos planetas, que é o maior planeta-anão do nosso sistema e, quando descoberto, ficou conhecido como o “décimo planeta”(porque 10 é igual a 5+5 – ou seja: a deusa e seu duplo. a deusa e seu “partner” que em volta do deus sol gira).
éris é bem maior que o planeta plutão (e este já deixou de ser planeta). mais…
éris é, também, um plutóide (ou seja, 1 corpo celeste composto de “gêlo” que apresenta forma esférica)

a viagem orbital da nossa deusa ronda os 560 anosdaí se infere que tenha pouco tempo para nos visitar com regularidade. serve-se muitas vezes de programas pirateados na net para mandar algumas mensagens aos papas e outros iniciados credenciados pela “divina discordeae” – o que é facto é que ela se encontra “longe para burros” (a cerca de 97 UA do sol e, a sua órbita é bastante excêntrica, como não poderia deixar de o ser).
bom… agora não nos venham perguntar mais merdas, sobretudo as que estão guardadas nas caixas de mistérios dos deuses e das deusas – cujo exemplo mais popular é a “caixa de pandora”.

MITOS que deixaram de ser mitos por serem verdades absolutas

– éris é a deusa da discórdia?…
– claro que sim!
– e o nosso planeta é o nosso planeta?…
– claro. porque o planeta (anão ou não), ao ser descoberto, lançou a discórdia entre os astrónomos quanto à definição daquilo que é mesmo, mesmo, mesmo um planeta
e
causou a perca de estatuto de plutão…
na verdade éris é famosa… sempre foi famosa. entre os gregos primeiro, entre os romanos depois, entre os nossos adeptos —–> agora.
foi ela > éris < que causou, provocou, animou, abençoou a célebre guerra de tróia.
e
é também conhecida por ser parceira de seu irmão ares (marte para os romanos) no campo de batalha.
dizem as más línguas que, quando os outros deuses se punham ao fresco por ter acabado a peleja, éris ficava. adorava curtir a carnificina…
… ainda hoje se diverte ao contemplar as misérias do quotidiano dos humanos.
um dos nomes mais sugeridos, pela corte científica, para o nosso planeta era o de perséfone, a putativa mulher de plutão.
mas a nossa deusa chegou-se á frente e, como quem não quer a coisa, deixou cair a sua maçã dourada, perfumou a sala de reuniões com o cheiro pestilento a cachorro quente
e
—–> a discórdia ganhou 2 pontos.
precisamente —–> 2 pontos.
não só o planeta se passou a chamar éris como o seu satélite ganhou o nome de disnomia – a célebre filha da nossa deusa – a filha da divina éris. a grande deusa da desordem…

nota bastante importante:como é evidente, os gregos sabiam que éris girava em torno do sol… porém a secreta família do vaticano sempre desprezou o facto. chegaram ao ponto de queimar toda a documentação que nos foi legada pelos gregos sobre a divindade que adoramos
e
foi preciso um magote de norte-americanos (cientistas) para repor a verdade dos factos.

 
ELA EXISTE
O espectro infravermelho da senhora éris – comparado com o do cavalheiro plutão – mostra semelhanças visíveis entre os dois corpos…
mas
éris é, com efeito, o maior corpo celeste conhecido  para lá da órbita do deus neptuno, logo, maior que o do senhor plutão
e
tal como este senhor plutão, o seu corpo é composto de uma mistura sólida de gelo e rocha.
os 2 podem ser vistos no cinturão de Kuiper.
mas… éris é um corpo formado na parte interior do cinturão e lançado para uma órbita mais distante devido a uma possível influência gravitacional do senhor neptuno (o deus dos oceanos).
apesar de éris se encontrar cerca de três vezes mais afastado do sol que plutão, chega a estar suficientemente perto do sol para que parte da superfície se descongele e forme uma fina atmosfera
e
é nessa altura que a deusa surge aos seus seguidores e iniciados – a nós deu-se a conhecer há dois meses
e
sugeriu-nos a criação deste blog para além de nos revelar o alfabeto mágico que apresentamos
e
que em breve será posto a circular por entre os nossos devotos – para que o usem nos seus  computadores.
 
segunda nota importante: – éris existe. mesmo. ao contrário doutros deuses que não passam de charlatães. éris, com efeito gira. move-se em torno do grande deus sol.

old newspaper


um bruxedo para o 2012 (que se aproxima)


PREPARA UMA TINTA DE AÇAFRÃO pura e genuína. mistura-a com água de rosas e acrescenta, se possível, um pouco de sangue dum galo negro.

numa habitação tranquila prepara um altar, com uma vasilha para a tinta, uma pena com ponta de ferro, 7 velas negras, um incensário e um pouco de benjuim.

o bruxedo pode ser escrito em papel virgem ou pergaminho.

desenha o diagrama ás 4 da tarde do dia de mercúrio (quarta-feira), virado a norte.

copia o diagrama de sete pontas sem levantar a pena do papel, num só movimento continuo e aguentando a respiração – pressionando a língua contra el palato.

Este é o Barisan Laksamana, o Rei do Djinn.

depois desenha o Selo de Salomão (uma estrela que representa um djinn de 5 cabeças) e o resto do diagrama.

sobre o Selo de Salomão, escreve o nome do indivíduo ou instituição que vais a maldizer…

e… que tenhas muito sucesso